Quinta-feira, 5 de Novembro de 2009

ainda há coisas boas na vida

a frase parece um pouco depressiva mas, na verdade, o sentimento é o oposto, é mesmo verdade, há dias em que pensamos e chegamos à brilhante conclusão de que ainda há coisas boas na vida e melhor que isso, a maioria dessas coisas são do mais simples e básico que existe.

 

mas começando do início deste pensamento, cheguei a casa após uma semana terrível de trabalho atirei com as coisas para o chão mesmo ao lado da porta, sacudi os sapatos dos pés e fui descalça até ao quarto. despi-me lentamente em frente ao espelho, a certa altura apercebi-me de que estava quase que como a fazer um strip-tease de mim para mim e sorri. já despida entrei na banheira e tomei um duche bem quente e algo demorado para o costume, senti a água quente a percorrer-me o corpo e que boa que era aquela sensação.

 

limpei-me e ainda enrolada na toalha e com o frasco da loção do corpo sentei-me no sofá. pus musica, uma espécie de chillout misturada com sons da natureza, lentamente comecei a espalhar a loção no corpo e a sentir arrepios, fechei os olhos e continuei a espalhar a loção só pelo tacto. passei pelos seios e os mamilos como que insuflaram de um só fôlego. demorei-me neles um pouco mais e fui descendo pela barriga até às coxas até que, ainda com os olhos fechados, passei pela minha ratinha e lembrei-me que me havia depilado há poucos dias, estava ainda lisa e sedosa como a pele de um bebé, depois foi mais loção e mais mão, mais dedos, mais emoção e o ritmo da musica embalando os toques até ao rogamos profundo, daqueles que sobem até à nuca nos dão espasmos e nos deixam perfeitamente k.o. depois.

 

e sabem que mais, querem que vos conte um segredo, foi uma maravilha.

 

sinto-me: no céu
publicado por diariodeumamulhermadura às 10:39

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

troca de sms – o “x” tântrico

o telefone vibrou debaixo da secretária, uma sms acabava de entrar. fui ver, era da “su” e dizia – estou triste! :’( - respondi de pronto – o q aconteceu? e iniciamos aí uma catadupa de sms-vai, sms-volta :

 

- brigamos! :’(

 

- feio?

 

- sim, feio!

 

- e agora?

 

- agora não quero pensar nisso!

 

- almoçamos?

 

- nop, jantamos, pode ser?

 

- sim, claro, mas tu podes?

 

- posso, não me sinto bem, vou tirar a tarde!

 

- às 8?

 

- sim

 

- e olha… estou com saudades!

 

- saudades? dele?

 

- não tonta! De ti!

 

- de mim? isso quer dizer o q?

 

- isso mesmo! Que tenho saudades de ti e de nós!

 

- … compasso de espera… -

 

- ainda não percebeste? Estou com saudades de ti, do teu cheiro, do teu sabor, do teu calor! Quero fazer amor contigo!

 

- uau! Tu disseste “fazer amor”?

 

- sim, hoje não quero foder contigo, hoje preciso de “fazer amor” contigo!

- tou com saudades do nosso “x” tântrico*!

 

- … compasso de espera… -

 

- eu tb!

 

- … fim de troca de sms… -

 

 

* - “x” tântrico – nome dado por nós a uma posição utilizada só em momentos muito particulares em que encaixadas uma no outra, formando como que um “x” e com as ratinhas juntas uma com a outra efectuamos movimentos lentos e demorados, muito prolongados até que ambas atinjamos o orgasmo apenas por fricção das ratinhas uma na outra (sem mãos, dedos, línguas ou outros quaisquer objectos).

sinto-me: saudosa
banda sonora: david archuleta - crush
publicado por diariodeumamulhermadura às 11:09

link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

os ares do mar dão-me tesão

fui passear à beira-mar, de carro, nem saí, o vento que estava lá fora desencorajava qualquer um a aventuras. apesar disso uns quantos surfistas teimavam em não sair da água. estacionei o carro de frente para o mar e ali fiquei a olhá-lo e aos “maluquinhos” que nele se aventuravam. não percebo muito de surf mas o pouco que percebo faz-me dizer que aquilo não era surf coisa nenhuma, era apenas uma luta contra as ondas e o vento pois não vi ninguém capaz de se colocar em cima de uma das várias pranchas que por ali andavam. abri um pouco o vidro e senti o cheiro a mar, aquele cheiro que é salgado mas que é ao mesmo tempo doce. tive um desejo, desejo de me tocar, de me sentir naquele lugar com aquele cheiro a mar, lembrei-me que ainda estava “naqueles dias do mês” e que também me ajuda a estas vontades repentinas, mudei de lugar, saí da frente do volante e passei ao lugar do pendura, olhei em volta e para além de 2 ou 3 carros mais um menos distantes e dos “maluquinhos” surfistas não vi ninguém, abri as pernas e levantando a saia de pregas que trazia vestida (eu sei que já saiu de moda, mas eu uso) e espreitei para dentro das cuequinhas. o penso ainda tinha algum sangue e resolvi trocá-lo, alcancei a minha mala no banco de trás e retirei uma toalhita húmida, limpei-me e substitui o penso por um tampão, era inevitável, estava com uma tesão enorme, ao limpar-me arrepiei-me logo ao passar a toalhita fria pelo clítoris e decidi, é agora, é agora mesmo.

tampão colocado mas cuequinhas não vestidas comecei ali mesmo a tocar-me levemente, lá fora o sol punha-se mais cedo que o habitual, estava um pouco escuro o tempo e ao olhar novamente para fora apanhei um susto, um casal estava agora à frente do meu carro olhando o mar e eu nem dei por eles passarem, mas depois do susto inicial vi que estavam bem longe e, claro, mais interessados no mar do que em mim, provavelmente nem devem ter sequer reparado que estava ali alguém, voltei a tocar-me mas desta vez sem os perder de vista, que nunca se sabe. a certa altura ele apalpa-lhe o rabo, num apalpão daqueles bem por baixo que a “su” se ali estivesse diria que era para ver se tinha ovo e isso excitou-me, porquê, não sei, mas excitou-me, foi como se aquele apalpão de tivesse transmitido a mim e isso fez-me masturbar mais e mais até quase me vir. aguentei, respirei fundo e acalmei um pouco mas sem parar de me tocar, sentia já o tampão a ensopar de líquidos mas continuei apenas no clítoris e arredores, não queria correr o risco de fazer uma enorme porcaria dentro do carro, à segunda não resisti e continuei, fui até ao limite e vim-me, num orgasmo intenso, daqueles que só o clítoris nos dá, fechei-me ainda com a mão entre as pernas e fechei os olhos por uns segundos, ao abri-los olhei novamente para fora, não vi ninguém.

tirei outra toalhita e limpei-me novamente, o tampão estava ensopado mas pouco vermelho. coloquei um penso, vesti as cuequinhas e voltei a casa, era hora de voltar e deixar os ares do mar.

sinto-me: angelical
banda sonora: baia de cascais - delfins
publicado por diariodeumamulhermadura às 11:54

link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

jogo do banquinho

jogadoras: mínimo 2 (3 ou mais para haver alguma emoção)

 

nível de dificuldade: variável (mas igualmente proporcional ao nível de diversão)

 

material necessário:

- dildos com ventosa de diferentes tamanhos e/ou diâmetros em número igual ou superior ao das jogadoras;

- banquinhos ou algo onde se possa “colar” os dildos;

- papelinhos numerados até ao número de “aparelhos existentes”.

 

duração: quanto mais melhor!

 

juntem-se umas quantas amigas com o material acima descrito, junte-se uma conversa apimentada e talvez uns quantos copos de uma qualquer bebida espirituosa.

 

após preparação e aquecimento prévio, dá-se início ao jogo que consiste em tirar à sorte o número de um “posto” a que equivale um dado dildo. cada participante terá que aceitar o “posto” que lhe coube em sorte e desfrutar dele o melhor que puder e souber. o decorrer da tarefa pode ser feito à vez ou em simultâneo, devendo no caso de ser escolhida a primeira hipótese, sortear novamente a ordem de “actuação”.

 

 

nota importante: como sempre convém pensar em prémios, talvez poder levar o seu “posto” para casa não seja uma má ideia.

 

sinto-me: divertida
publicado por diariodeumamulhermadura às 11:17

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 1 de Julho de 2008

masturbação – poderosa terapia anti-stress

tenho andado stressada, já o saberão pois já dei disso conta, bem como dos motivos desse mesmo stress no meu último post. e para quando o stress aperta e não dá sequer vontade de estar com outras pessoas há uma terapia “a solo” que descobri há já muito tempo atrás mas que parece não ter perdido eficácia com o passar do tempo, antes pelo contrário, parece cada vez mais apurada, isso mesmo – a masturbação, mas não uma masturbação qualquer, mas não uma masturbação à pressa, “a correr” ou com tempo contado, nem sequer uma masturbação espontânea, do momento ou por impulso. antes aquilo a que chamo “vim” ou “masturbação vip”. e como é que é essa “masturbação vip”? é fácil, eu explico.

em primeiro lugar, e como já disse, não é “espontânea”, tem hora e local marcado ou, melhor dizendo, é necessário “reservar” espaço e tempo para que ela ocorra sem perturbações de qualquer espécie.

em seguida devemos tratar de nós como se nos estivéssemos a preparar para o “encontro das nossas vidas” e não como algo que como é para nós não precisamos “caprichar”, precisamos sim, aliás, exactamente por ser de nós para nós é que devemos cuidar ainda mais todos os detalhes. um banho demorado de espuma ou sais pode ser uma importante parte dos “preliminares”.

devemos também pensar no que queremos ou nos apetece fazer e preparar antecipadamente o que precisamos ou podemos vir a precisar, se gostamos de usar acessórios, lubrificantes ou seja lá o que for devemos ter “tudo à mão” e não interromper o processo a meio só porque nos lembramos de fazer “isto” ou “aquilo”.

como disse antes, nesse “período reservado” não há espaço para telefones, campainhas ou outros motivos de interrupção ou distracção, o rádio ou a tv são acessórios que poderão ser usados mas convém que não seja quando estão a dar as noticias ou algo do género.

eu é assim que faço, um belo banho seguido de uma auto-massagem com óleo para ficar macia, hidratada e sedosa. coloco uma lingerie “sexy” (tal e qual como se fosse para alguém), preparo o que preciso e coloco junto do local escolhido (isto se decidi usar algo mais que as mãos  ), desligo o telemóvel e começo a sessão vagarosa e suavemente como se tivesse todo o tempo do mundo, toco-me nos seios em movimentos circulares da base para o centro em direcção aos mamilos pondo-os duros, depois desço vagarosamente e massajo as pernas e as coxas em direcção às virilhas.

quando chego à ratinha gosto de passar um bom tempo tocando-me suavemente por cima das cuequinhas sentindo-me a ficar molhada e as cuequinhas a ficarem húmidas. depois de bem húmida gosto de passar um dedo pelo centro, abrindo os lábios e provando o meu sabor, depois coloco a mão dentro das cuequinhas (sem as tirar) e vou-me tocando mais em baixo, mais em cima, brincando bastante com os lábios, o clítoris, a entrada da vagina e até mesmo o buraquinho do rabinho, uso diferentes dedos e diferentes partes do dedo, por vezes a unha (com cuidado) e vou metendo também a ponta dos dedos na vagina. gosto também de dar pequenas palmadinhas junto ao clítoris, são como pequenos choques eléctricos, muito estimulantes

quando por fim tiro as cuequinhas e me abro toda, é a hora de mudar também bastante de ritmo, vou introduzindo e retirando 1, 2 ou mais dedos na vagina com algum ritmo num movimento deslizando a palma da mão, acompanhando a forma de concha da minha ratinha tocando a palma da mão no restante. por vezes volto às palmadinhas mas desta vez com a mão mais em concha fazendo um movimento de uma certa “sucção” (que só resulta plenamente quando bem depilada).

depois é a fase mais hard com, ou sem acessórios (na maioria das vezes sem), trato da minha ratinha pelo menos com 2 dedos em movimentos vaivém frenéticos misturados com toques circulares no clítoris com a outra mão até me vir por completo num orgasmo daqueles de saltar e ficar a tremer por dentro durante uns bons minutos.

qual é o meu “segredo” para esses orgasmos brutais, já me têm perguntado algumas pessoas, inclusivamente pelo e-mail aqui do blog. o segredo, se assim se pode dizer, é tocarmo-nos onde gostamos, é explorarmo-nos sem medos nem tabus e, no meu caso, resulta muito bem “pausar” quando sentimos que estamos prestes a atingir o orgasmo, e ir “pausando”, moderando a intensidade e ir tendo “micro-orgasmos” ou “quase orgasmos” culminando com um último daqueles que vêm mesmo das profundezas e o qual somos incapazes de parar.

comigo, resulta! e o stress, vai-se todo

caso o stress seja mesmo grande, é apenas uma questão de repetir a dose as vezes necessárias até o eliminar por completo  ;) diz quem sabe que é uma das melhores terapias para evitar a depressão ou para curar quem sofre de uma.

 

sinto-me: curada
banda sonora: keane - is it any wonder
publicado por diariodeumamulhermadura às 10:21

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

perfil

Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

dúvidas existenciais

fantasias sexuais ja realizadas
sexo anal
sexo bi-sexual
sexo com 2 mulheres ou 2 homens
sexo com 1 casal
masturbacao em grupo (homens)
masturbacao em grupo (mulheres)
sexo em grupo
swing (troca de parceiros)
sexo em locais publicos
sexo na internet (webcam)
sexo com assistencia
gravar sexo em video
fotografar durante sexo
dupla penetracao
mulher com mais de 2 homens
homem com mais de 2 mulheres
sexo com desconhecido(a)
sexo com prestador de servicos (carteiro, canalizador, pizzaboy, etc)
sexo com animais
sexo com objectos bizarros
sexo com objectos sexuais volumosos
  
pollcode.com free polls
vestida para seduzir
calca e blusa bem justinha
calcao e top com muita lycra
mini-saia
decote generoso
lingerie e saltos altos
com a roupa que viemos ao mundo
a roupa nao importa, o olhar e fatal
  
pollcode.com free polls
quem le este diario? parte 1
homem
mulher
casal
grupo de amigos
grupo de amigas
  
pollcode.com free polls
quem le este diario? parte 2
menor de 18 anos
de 18 a 25 anos
de 26 a 35 anos
de 36 a 45 anos
de 46 a 55 anos
mais de 55 anos
  
pollcode.com free polls

posts recentes

ainda há coisas boas na v...

troca de sms – o “x” tânt...

os ares do mar dão-me tes...

jogo do banquinho

masturbação – poderosa te...

leitores do diário

Offshore Jones Act
Offshore Jones Act Counter

arquivos

Julho 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

pesquisar

 

leitores online

Users Online

segredos do diário

prémios do diário

Photobucket
blogs SAPO

subscrever feeds